• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Médica é baleada na cabeça ao sair de Hospital Universitário em Vitória

  • COMPARTILHE
Polícia

Médica é baleada na cabeça ao sair de Hospital Universitário em Vitória

Ela foi baleada em um local utilizado como estacionamento do Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam), na Avenida Marechal Campos

Breno Ribeiro

Redação Folha Vitória

A pediatra oncologista Milena Gottardi Tonini Frasson, de 38 anos, foi baleada na cabeça em um local utilizado como estacionamento do Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Hucam), na Avenida Marechal Campos, em Vitória. A informação foi confirmada pela assessoria do hospital. 

A confirmação do crime foi realizada por volta das 21h e até às 21h22, a informação fornecida pela assessoria é de que a médica passa por uma cirurgia.

A médica estava acompanhada de uma amiga quando foi baleada. De acordo com a testemunha, a vítima teria sido atingida por três disparos. O criminoso fugiu sem levar nenhum dos pertences das médicas.

Ainda segundo a testemunha, o crime aconteceu por volta de 16h, quando Milena havia saído do plantão e seguia em direção ao carro dela, parado no local utilizado como estacionamento no hospital. Segundo a testemunha, que acompanhava Milena, o local é tido como perigoso em virtude da ocorrência de outros crimes. Quando chegaram ao veículo, um homem armado anunciou o assalto. Ela disse que o assaltante pediu chave do carro e bolsa.

Ao suposto assaltante, Milena teria dito que a bolsa estava no porta-malas e a pediu para buscar. A testemunha informou que o criminoso estava bastante confuso e nervoso. Ela contou que fizeram tudo o que o criminoso queria, mas ainda assim ele atirou por três vezes. Os disparos atingiram o rosto da médica.

Ainda não é possível afirmar se realmente foi tentativa de assalto, já que o atirador não levou nenhum pertence da vítima.

A testemunha

A médica que acompanhava Milena informou que costumava fazer o trajeto com a amiga devido a periculosidade do local. Ela disse que viu o rapaz próximo ao carro da vítima, mas não desconfiou.

A testemunha também contou que tentou se esconder dos disparos e após a fuga do criminoso, viu a amiga no chão. Ao tentar contato, percebeu os ferimentos e pediu socorro.