• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Suspeito de atirar contra médica muda versão e diz que intermediador executou o crime

  • COMPARTILHE
Polícia

Suspeito de atirar contra médica muda versão e diz que intermediador executou o crime

Dionathas Alves Vieira disse, em depoimento, que foi o autor dos tiros que mataram Milena Gottardi, mas a seu advogado ele diz que mentiu por medo

O suspeito de ser o executor do assassinato da médica Milena Gottardi mudou sua versão sobre os fatos. Em depoimento prestado no último fim de semana, na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP), Dionathas Alves Vieira havia admitido a autoria dos disparos que mataram a médica. No entanto, a seu advogado, Leonardo da Rocha de Souza, o rapaz teria dito que, na verdade, os disparos foram efetuados por um dos intermediários do crime.

Segundo o advogado, Dionathas, que atualmente cumpre prisão temporária no Complexo Penitênciário de Viana, assumiu inicialmente ter sido o executor do homicídio por medo. Souza, no entanto, não disse qual dos intermediadores teria atirado contra Milena, na nova versão de seu cliente: Valcir da Silva Dias ou Hermenegildo Palauro Filho, o Judinho.

O defensor disse ainda que Dionathas apresentará essa nova versão ao delegado Janderson Lube, responsável pela investigação, assim que for marcado um novo depoimento.

"Ele me disse que prestou um primeiro depoimento na delegacia, afirmando que ele teria atirado. Na terça-feira, ele me disse que, na verdade, fez a afirmação por medo. Mas ele não está se eximindo da responsabilidade. Ele está apenas dizendo agora que não foi ele que efetuou o disparo. Ele estava junto na hora, mas ficou um pouco nervoso e o outro rapaz que estava com ele pegou a arma e fez o serviço. Foram os intermediários que fizeram essa negociação para que ele fosse o executor desse crime bárbaro", afirmou Souza.

Ainda segundo o advogado, Dionathas confirmou que, cerca de 20 dias antes do crime, esteve com Hilário Frasson, ex-marido de Milena e apontado pela polícia como um dos mandantes do assassinato.

"Ele esteve com um dos mandantes 20 dias antes dos fatos. A pessoa falou de várias questões periféricas que talvez seriam importantes para o esclarecimento dos fatos e ele está disposto a colaborar, assim como está colaborando desde o início desse inquérito", disse Leonardo Souza.

O advogado esteve no Fórum Criminal de Vitória, na tarde desta sexta-feira (22), para protocolar um pedido de medidas de segurança em favor de Dionathas, já que o cliente dele se sente ameaçado dentro da prisão.

Segundo o defensor, o rapaz está apavorado com todas as prisões e reviravoltas que aconteceram no caso nos últimos dias, principalmente com a prisão de Hilário Antônio Fiorot Frasson e Esperidião Carlos Frasson, sogro da médica e também apontado como um dos mandantes.