• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Trio usa táxi para tentar sequestrar estudante e acaba preso em Vila Velha

  • COMPARTILHE
Polícia

Trio usa táxi para tentar sequestrar estudante e acaba preso em Vila Velha

Além do taxista, Genildo Miranda, de 36 anos, também teriam participado da ação Jackson Cesário da Silva, de 25 anos, e Alexandre Souza Santos, de 19

Uma estudante de 20 anos foi vítima de uma tentativa de sequestro na noite desta quinta-feira (28), no bairro Jardim Colorado, em Vila Velha. Segundo a polícia, um táxi do município de Cariacica foi utilizado no crime. Além do taxista, Genildo Miranda, de 36 anos, também teriam participado da ação Jackson Cesário da Silva, de 25 anos, e Alexandre Souza Santos, de 19.

O crime aconteceu por volta das 22h. A vítima à polícia que havia acabado de sair da escola. Poucos metros depois ela foi rendida por três homens em um carro branco. Dois deles saltaram e tentaram colocá-la dentro do veículo, mas a jovem resistiu. Ela correu em direção a um restaurante, onde minutos antes da abordagem havia notado a presença de policiais militares.

A jovem passou as características do veículo e dos criminosos para os militates, que saíram em perseguição atrás dos suspeitos. Eles foram alcançados no bairro Santos Dumont. Com eles, a polícia encontrou uma pistola falsa. Na delegacia, disseram que decidiram cometer o crime para pagar dívidas de drogas.

"Nós estávamos sendo ameaçados. Caso a gente não arrumasse esse dinheiro eles nos matariam. Eles deram até 16h para que a gente arrumasse esse dinheiro. Como a gente não arrumou, eles ameaçaram matar todos os três. Tava descabeçado, né? Coisa que a gente errou, né?", assume o taxista Genildo Miranda. "Já faz duas semanas já. Eles deram somente até essa semana para darmos nosso jeito. É de cocaína", acrescenta Alexandre.

De acordo com a polícia, Alexandre estaria devendo R$ 2 mil a um traficante. Jackson teria que pagar cerca de R$ 200,00 ao taxista, que segundo as investigações, também é revendedor de drogas. Antes do crime, o motorista teria encontrado os dois em um posto de gasolina na região de Aribiri.

"Ninguém puxou ela não. A gente só pediu o telefone dela, só que ela começou a gritar e saiu correndo", diz Alexandre.

Entretanto, a versão dos suspeitos não convenceu a polícia. Os três foram autuados em flagrante por diversos crimes: associação criminosa, roubo, tentativa de sequestro, resistência à prisão e ainda direção perigosa. Na delegacia, um dos suspeitos admitiu que já cometeu outros crimes e se mostrou envergonhado.