• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'É claro que perdoo', diz mãe agredida pelo próprio filho em Cariacica

  • COMPARTILHE
Polícia

'É claro que perdoo', diz mãe agredida pelo próprio filho em Cariacica

Ele foi preso após agredir a aposentada de 90 anos. A mãe afirma que ele fica agressivo quando bebe

Um ajudante de pedreiro foi preso após agredir a própria mãe, em Cariacica. A aposentada tem 90 anos e afirma que não é a primeira vez que sofre na mão do filho. A motivação da violência teria sido a bebida alcoólica.

De acordo com a mãe, que preferiu não ser identificada, o filho José Antônio da Silva, 50 anos, é uma pessoa tranquila e trabalhadora, mas se transforma após beber. Cansada de sofrer agressões e ameaças, ela decidiu tomar uma decisão. "Isso é uma dor, né? A mãe chamar a polícia para o filho", desabafou.

Ela contou que nessa terça-feira (24), o filho saiu cedo de casa e passou o dia inteiro no bar. Quando chegou em casa, estava tranquilo, tomou um banho e jantou. Mas logo em seguida, começou a confusão. Ele teria agredido a mãe verbalmente e arremessou objetos contra ela.

Um familiar da aposentada viu a confusão e correu para intervir. A polícia foi acionada, mas o ajudante de pedreiro continuou agressivo. Vizinhos conseguiram imobilizá-lo até a chegada da PM. "Se não fosse meu neto, o que eu ia fazer? Era capaz de ele me matar", disse a senhora.

O suspeito foi levado para a Delegacia Regional de Cariacica. Para a reportagem, disse que nem se lembrava do acontecido, pois, segundo ele, estava bêbado. Ele admitiu que já agrediu a mãe outras vezes, sempre sob o efeito do álcool. No entanto, afirmou que é difícil parar de beber.

Após o efeito do álcool, o ajudante de pedreiro disse que não queria ter feito o que fez e afirma estar arrependido. Apesar de toda a violência, coração de mãe não guarda mágoas. Mesmo machucada de forma física e emocional, a aposentada se diz capaz de perdoar. "Perdoo. É claro que perdoo. É meu filho e meu companheiro", disse.

A Polícia Civil afirma que o conduzido foi autuado por ameaça na forma da Lei Maria da Penha. Foi arbitrada fiança. Como não houve pagamento, ele foi encaminhado para o presídio.