• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Empresário da Grande Vitória tem cheque adulterado em fila de banco e tem prejuízo de R$ 30 mil

  • COMPARTILHE
Polícia

Empresário da Grande Vitória tem cheque adulterado em fila de banco e tem prejuízo de R$ 30 mil

Segundo a polícia, o valor original do documento era de pouco mais de R$ 1 mil. Em outro caso, uma empresa quase perdeu R$ 48 mil, mas a falsificação foi descoberta pelo banco, que bloqueou o pagamento

Um empresário da Grande Vitória foi vítima de um golpe na fila de uma agência bancária. Ele teve um cheque adulterado e levou um prejuízo de R$ 30 mil. Segundo a polícia, o valor original do documento era de pouco mais de R$ 1 mil, mas foi alterado pelos criminosos.

Ainda de acordo com a polícia, o novo golpe conta com a pressa e a ingenuidade das vítimas para dar certo e acontece dentro do banco. O golpe é aplicado no momento em que a vítima precisa sacar um cheque na boca do caixa.

Na fila, ela é abordada por uma pessoa que alega estar com pressa e faz uma proposta: ela fica com a senha da vitima, para ser atendida mais rápido, paga o valor do cheque à vitima e fica com o documento para realizar o saque quando chegar a vez dele. No entanto, antes de chegar ao caixa, o falsificador adultera o cheque, colocando nele um valor muito maior que o original.

O mesmo aconteceu com uma empresa de reciclagem da Grande Vitória, que teve um cheque adulterado de R$ 600 para R$ 48 mil. No entanto, nesse caso, o golpe não foi concretizado, pois a falsificação foi descoberta pelo banco, que bloqueou o pagamento. 

Os dois casos identificados pela Polícia Civil até agora, na região metropolitana, ocorreram em bancos diferentes.

Clonagem de celular

Geralmente os bancos têm uma política de segurança para cheques muito altos. O gerente liga para o titular da conta e confirma o valor. 

No entanto, segundo a titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações, delegada Rhayana Bremenkamp, é nessa hora que entra a segunda parte do golpe: membros da quadrilha vão até a empresa, cortam a linha telefônica e clonam o celular do empresário.

"O golpe é mais bem elaborado. Ao mesmo tempo, criminosos vão à empresa dessas vítimas, donas do cheque, se passando por operadora de telefonia, derrubam toda a internet e os telefones, para que não haja confirmação. E, além de tudo, ainda conseguem clonar o telefone pessoal do proprietário da empresa. Com o telefone clonado, eles atendem o telefone e confirmam o pagamento daquele valor alto", explicou a delegada.