• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Homem pelado é esfaqueado no final da orla de Itaparica, em Vila Velha

  • COMPARTILHE
Polícia

Homem pelado é esfaqueado no final da orla de Itaparica, em Vila Velha

Ele teria sido assaltado enquanto estava com uma garota de programa na vegetação do local

Um lavador de estofados, 40 anos, foi esfaqueado na região do final da orla de Itaparica, em Vila Velha. De acordo com moradores, ele estava pelado e se envolveu em uma confusão com uma garota de programa. A população reclama da falta de segurança no local.

O crime aconteceu por volta das 23 horas dessa quinta-feira (20). Moradores relataram que a vítima estava no meio da vegetação com uma garota de programa. De repente, uma terceira pessoa, seminua, saiu da mata gritando por socorro. Ela dizia que o lavador de estofados estava sendo agredido no local.

Segundo a polícia, o homem sofreu cortes no pulso. Após o socorro, familiares contaram que ele foi rendido por criminosos no calçadão e chegou a entregar os pertences, mas acabou esfaqueado. Eles também relataram que a vítima sofre de transtorno bipolar.

De acordo com a moradores das proximidades do local, crimes e confusões no final da orla são frequentes. Eles alegam que durante a noite o calçadão é tomado por garotas de programa, que se envolvem em brigas entre elas e com clientes. A população está assustada."Eles não têm vergonha de nada e não respeitam as pessoas. Eles brigam, usam droga e não estão nem aí para nada", disse um morador que não quis ser identificado.

Em meio à vegetação da praia, a reportagem da TV Vitória encontrou pacotes de preservativos, várias peças de roupas, sandálias e garrafas de bebida alcoólica. Ao invés de atrair a população pela beleza, o local se tornou motivo de incômodo para os moradores.

"Passar por aqui é constrangedor. às vezes ao dia ou pela tarde sempre tem algumas mulheres que você percebe que é garota de programa", relatou o recepcionista Flávio Andrade Pimentel. "Isso atrai muito o tráfico de drogas para a região. Confesso que tenho medo de caminhar aqui sozinha", disse a funcionária pública Soraya Benetti.

A Polícia Militar informou que têm realizado constantes ações preventivas no intuito de coibir o índice de criminalidade da região. Além do patrulhamento de rotina, são realizados cercos táticos, abordagem a suspeitos e à todos os tipos de veículos, inclusive táxis e coletivos. A polícia pede que o Ciodes seja acionado pelo 190 a qualquer atitude suspeita ou ocorrência de crime.