• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Homem usa fogos de artifício para espantar gaviões, mata filhotes e ameaça testemunhas em Vitória

  • COMPARTILHE
Polícia

Homem usa fogos de artifício para espantar gaviões, mata filhotes e ameaça testemunhas em Vitória

Segundo uma estudante que presenciou o crime ambiental, o fato ocorreu na Ilha de Monte Belo, em Vitória, na manhã da última quinta-feira (5)

Uma estudante moradora de Vitória denunciou um homem por matar dois filhotes de gavião, da espécie Caracara Plancus, conhecido como Carcará. De acordo com ela, o homem ainda ameaçou alunos e funcionários de uma centro universitário da capital. Segundo a estudante, o fato ocorreu na Ilha de Monte Belo, na manhã da última quinta-feira (5).

De acordo com a estudante, o rapaz subiu em uma antena telefônica localizada na região e soltou fogos para espantar um casal de gaviões que havia feito um ninho no local. Segundo ela, o casal voou, mas os filhotes foram arremessados de cima da torre.

"Um dos filhotes caiu dentro do terreno onde fica a antena. Esse ele recolheu e colocou em um saco. Já o outro caiu na rua e ele não pôde esconder a prova do crime. Alunos e seguranças da faculdade presenciaram todo o ocorrido e além disso existem câmeras para provar o ocorrido", diz a universitária.

Segundo a estudante, o homem ainda ameaçou as pessoas que presenciaram o crime ambiental. "O homem saiu de dentro do terreno com um facão na mão ameaçando os alunos, dizendo que se acontecesse algo com ele, ele voltaria para acertar as contas", afirma.

A estudante conta ainda que no dia anterior - quarta-feira (4) -, o mesmo homem esteve no local para expulsar os gaviões, mas policiais militares ambientais foram acionados e o impediu.

A reportagem fez contato com a instituição de ensino que teve alunos e funcionários ameaçados, mas o centro universitário preferiu não se posicionar acerca do assunto, com a alegação de que o fato não ocorreu dentro da instituição. A empresa responsável pela estação telefônica e o agressor ainda não foram identificados.

A Polícia Militar Ambiental também foi acionada para falar sobre a denúncia, mas não respondeu até o fechamento desta matéria.

Reportagem: Breno Ribeiro