• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Instrutor e aluna de autoescola na Serra são rendidos por assaltante durante aula de trânsito

  • COMPARTILHE
Polícia

Instrutor e aluna de autoescola na Serra são rendidos por assaltante durante aula de trânsito

Vítimas tiveram os celulares roubados pelo criminoso. Segundo o instrutor, os assaltos no local acontecem praticamente todos os dias

Um instrutor e uma aluna de uma autoescola localizada em Barcelona, na Serra, ficaram na mira da arma de um bandido, na manhã desta terça-feira (24). O assalto aconteceu no momento em que o instrutor parou o carro ao lado do meio fio.

Segundo o funcionário da auto escola, que preferiu não se identificar, o criminoso roubou seu celular e o da aluna. "O cidadão chegou, apontou a arma para a gente e pediu o celular dela e o meu. Tivemos que entregar e ele saiu andando como uma pessoa comum. Mas o que você pode fazer? Pode fazer nada", lamentou.

Ainda de acordo com o instrutor, alunos e funcionários da auto escola estão sendo assaltados praticamente todos os dias, durante as aulas de trânsito. Segundo ele, os criminosos aproveitam o momento em que as vítimas estacionam o carro ou reduzem a velocidade para agirem.

As aulas acontecem no entorno da principal praça do bairro, em um local de bastante movimento. As vitimas contam que não existe um horário específico para acontecer os assaltos. Segundo elas, os bandidos agem a pé, de bicicleta ou de moto.

"Geralmente, quando a gente encosta o carro para fazer uma parada regulamentar, que o aluno utiliza toda hora, eles abordam. Ou quando a gente está parado aqui, no intervalo entre uma aula e outra. Você sabe que vai sair de casa com seus pertences, agora se volta, você não sabe", lamentou o funcionário da auto escola.

Um outro instrutor, que também não quis ser identificado, conta que também foi vítima dos criminosos recentemente.

"Há poucos dias eu fui assaltado, por volta das 18h45. Eles chegam colocando a maior pressão para cima da gente, pedindo celular, carteira, nossos pertences. Então, infelizmente, a gente está jogado às traças. Esperamos uma reação e essa reação não vem, que é a reação da Justiça. E eles [os bandidos] estão muito a vontade. Chegam, roubam, vão embora e nada acontece com eles", afirmou.