• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

População protesta e aulas são suspensas após morte de jovem em Cariacica

  • COMPARTILHE
Polícia

População protesta e aulas são suspensas após morte de jovem em Cariacica

Maikielen da Silva Barros, 19 anos, morreu após ser baleada na noite dessa terça-feira, em Padre Gabriel

Após a morte da jovem Maikielen da Silva Barros, 19 anos, no bairro Padre Gabriel, em Cariacica, moradores do local realizaram protestos na manhã desta quarta-feira (11). As aulas de uma escola municipal precisaram ser suspensas.

Com galhos, pneus em chamas e cartazes com pedidos de paz, a população bloqueou o trânsito da principal avenida do bairro. Os moradores reclamam dos tiroteios constantes que acontecem na região. Segundo eles, até o comércio é afetado pela violência. A mobilização foi acompanhada pela Polícia Militar.

Maikielen foi assassinada a tiros na noite dessa terça-feira (10). Segundo testemunhas, ela estava com um grupo em um campo de futebol quando quatro homens chegaram em um carro e começaram a atirar. Familiares alegam que chegaram a ouvir os disparos.

A jovem chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu dentro da ambulância. Durante o tiroteio, outras duas pessoas foram baleadas: um rapaz de 22 anos e outro de 18. Eles estariam usando drogas no local, mas uma tia da vítima nega o envolvimento da sobrinha.

Os responsáveis pela escola que teve as aulas suspensas não foram localizados. O capitão da Polícia Militar Elias Oliveira de Jesus afirma que a região é conhecida pelo intenso tráfico de drogas e, devido aos tiroteios, o patrulhamento foi itensificado.

Uma prima de Maikielen, que não quis ser identificada, contou que o sonho da jovem era dar uma vida diferente para o filho. No meio do ano, ela havia terminado o Ensino Médio e queria fazer um curso superior em direito.

Ainda na manhã desta quarta-feira, a mãe e uma tia da jovem estiveram no Departamento Médico Legal, em Vitória. Abaladas, elas não quiseram dar entrevista, mas contaram que Maikielen era filha única e morava na casa com a mãe. O corpo será velado em uma igreja e o sepultamento está previsto para acontecer em um cemitério do bairro.

Familiares contaram que ela completou 19 anos no final do mês de setembro e deixou um filho de apenas nove meses. A criança deve ficar sob os cuidados da avó. De acordo com a família, o pai de Maikielen foi assassinado a tiros no bairro há dez anos. O crime segue investigado pela Polícia Civil.