• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

95 assaltos a ônibus são registrados nos últimos dois meses na GV

  • COMPARTILHE
Polícia

95 assaltos a ônibus são registrados nos últimos dois meses na GV

Na última terça-feira, um assalto dentro de um coletivo terminou com duas pessoas mortas e três feridas em Guarapari

Apenas nos dois últimos meses, 95 assaltos a ônibus foram registrados na Grande Vitória, de acordo com Comandante do Policiamento Ostensivo da região metropolitana, coronel Ramalho. Em setembro, foram 48 registros, já em outubro foram 47 casos. Mas o mês que chamou mais atenção da polícia, segundo o coronel, foi julho, com 115 assaltos.

“Percebemos esse pico em julho. Foram 115 ocorrências registradas. Consequentemente nós intensificamos as operações e no mês de setembro e outubro nós tivemos uma queda para 48 e 47 ocorrências em coletivos”, disse o comandante, em uma entrevista para a TV Vitória.

Uma apuração recente do Folha Vitória apontou que pelo menos três assaltos a ônibus por dia são registrados na região metropolitana. Os dados foram levantados pelo Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários-ES).

A Polícia Militar informou que realizou 16.693 abordagens nas mais diversas linhas de ônibus, de janeiro a outubro deste ano. Neste mesmo período, segundo a PM, policiais militares organizaram e executaram 313 mil cercos táticos, incluindo os ônibus nas abordagens. No mês de outubro, foram registrados 47 roubos a coletivos do Sistema Transcol. Esse número representa um percentual de 0,0001% de ocorrências no universo de 354.018 viagens por mês, o que soma a média de uma ocorrência registrada a cada 8.466 viagens.

Ainda de acordo com os militares, é de extrema importância que o boletim de ocorrência seja registrado em caso de crimes. A população ainda pode colaborar com o trabalho da polícia denunciando ações de indivíduos que agem na região por meio do Disque-Denúncia (181). O sigilo e o anonimato são garantidos.

Crimes

O último crime aconteceu na tarde de terça-feira (21), em Guarapari. Quatro passageiros foram baleados após um policial militar de folga reagir ao assalto. O policial também acabou ferido. Duas das vítimas não resistiram e morreram.

No dia 8 deste mês, três criminosos foram presos em flagrante no momento em que assaltavam passageiros de um ônibus do sistema Transcol, no Parque Moscoso, em Vitória.

Há um mês, o policial civil Job Tadeu Dalla Bernardina, de 49 anos, foi internado em estado grave após ser vítima de um assalto a ônibus na Serra. Na semana passada, um jovem apanhou de passageiros após usar crack dentro do ônibus e roubar um celular.

Também recentemente, um jovem de 16 anos foi assassinado a tiros dentro do Terminal de Laranjeiras, na Serra, depois de uma discussão. O crime aconteceu enquanto a vítima esperava um ônibus no terminal. Já em Vila Velha, um homem foi preso dentro do Terminal do Ibes após passageiros reagirem.

Motivos

Segundo o coronel Ramalho, na maioria dos casos o foco dos criminosos são os celulares dos passageiros. “Por ser um aparelho caro, ele encontra uma receptação fácil no mercado, onde esse receptador vai desconfigurar esse aparelho e vai revender novamente. É um ciclo. É importante também que nós também estejamos atentos. Enquanto alimentarmos esse crime pela compra de um aparelho mais barato, nós vamos estar alimentando ainda mais esses crimes”, afirmou.

Um dos grandes problemas para Ramalho é o fato dos suspeitos não ficarem presos. “O enfoque precisa ser sobre uma legislação penal eficiente, o enfoque precisa ser alcançar o roubo e o furto que é banalizado no Brasil. Se um cara daquele [que assaltou o ônibus em Guarapari] se entrega e é levado para a delegacia, hoje ele já estaria solto. Criminoso tem que estar preso”, destacou.