• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Esse verme nunca tinha visto minha filha antes', diz mãe de Thayná sobre Ademir

  • COMPARTILHE
Polícia

'Esse verme nunca tinha visto minha filha antes', diz mãe de Thayná sobre Ademir

Clemilda Aparecida de Jesus rebateu as declarações dadas pelo suspeito de sequestrar a menina, em um vídeo gravado logo após a prisão dele

A mãe de Thayná Andressa de Jesus, de 12 anos, rebateu as declarações dadas por Ademir Lúcio Ferreira de Araújo, de 55 anos, em um vídeo feito logo após a prisão do suspeito de ter sequestrado a menina. Clemilda Aparecida de Jesus afirmou que, ao contrário do que Ademir declarou na gravação, nem ela nem Thayná o conheciam.

No vídeo, Ademir disse que, no dia do crime, voltava do bairro Universal, em Viana, quando viu Thayná na rua. Segundo ele, a menina o reconheceu e ele convidou a menina de 12 anos "para dar uma volta".

A mãe da menina, no entanto, garante que essa versão é falsa. "Ele não conhecia a minha filha, esse verme, esse monstro! Eu não conhecia ele e eu quero que ele fale isso na minha frente, olhando para mim. Esse verme nunca tinha visto minha filha antes, para dizer que ofereceu R$ 50 para minha filha. Se eu pego ele, eu mato", afirmou Clemilda.

Fuga do país

A mãe de Thayná esteve novamente na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), nesta segunda-feira (13), e conversou com os policiais responsáveis pela investigação do caso, que contaram a ela como foi o trabalho que resultou na prisão de Ademir. Segundo Clemilda, os policiais disseram que Ademir planejava fugir do país.

"Eles falaram que prenderam ele lá no Sul, que eles já estavam atrás dele há um tempo, que ele já tinha fugido da polícia antes lá no Sul e que a intenção dele era atravessar a fronteira e fugir do país. Esse miserável! A intenção dele era fugir e me largar desgraçada no lixo, que era o lugar dele. Mas eu sabia que a minha filha não tinha fugido. Eu conhecia a minha filha, eu sabia que minha filha não tinha sumido", ressaltou.

Clemilda também disse não saber exatamente qual o sentimento que a notícia sobre a prisão de Ademir trouxe a ela. "Não sei se é alívio, eu não sei ainda. É uma mistura de sentimento muito grande aqui dentro do meu coração. Eu já não sei se está doendo, se está me matando, o que está acontecendo. O alívio seria se eu pegasse ele, aí eu ia ficar aliviada. Mas está bom para mim. Só de saber que ele não vai mais fazer isso com criança nenhuma já é um conforto", disse. 

A mãe de Thayná aproveitou ainda para agradecer a parentes de Ademir, que, segundo ela, deram total apoio à sua família. "Tenho que agradecer à família dele. Alguém da família dele ajudou muito. Eles não têm nada a ver com esse verme. Até eles queriam que esse verme saísse da sociedade", afirmou.