• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Grupo é preso suspeito de negociar e transportar drogas entre bairros da Serra

  • COMPARTILHE
Polícia

Grupo é preso suspeito de negociar e transportar drogas entre bairros da Serra

Segundo a polícia, os quatro suspeitos iriam negociar 5 kg de maconha no momento em que foram detidos

Quatro homens foram presos em flagrante, na manhã desta quinta-feira (09), suspeitos de negociar e transportar drogas entre bairros da Serra. Segundo a polícia, Aldimar Menezes Santos, de 46 anos, David de Souza Baudson, de 28, Marlus William Flores, de 24, e Kelven de Souza Ferreira, de 22, iriam negociar 5 kg de maconha, quando foram detidos.

A polícia já sabia que os suspeitos faziam a movimentação de drogas do bairro Nova Almeida para Serra Dourada III. Nesta quinta, depois de receber informações sobre o carro utilizado para carregar o material ilícito, a polícia conseguiu deter os quatro suspeitos.

"Nós já estávamos os monitorando há algum tempo e hoje tivemos a informação que esse veículo iria buscar essa droga em Serra Dourada. Conseguimos abordá-lo na região de Serra Dourada e esses indivíduos confessaram que realmente estavam fazendo esse transporte. O veículo seria trocado em Nova Almeida pela quantidade de droga que seria trazida para Serra Dourada, para depois ser fracionada e ser vendida no varejo", afirmou o titular da Delegacia de Jacaraípe e Novo Horizonte, delegado Rodrigo Rosa.

Segundo o delegado, quando a polícia chegou, encontrou Kelven e Marlus em atitude suspeita. Os dois suspeitos confessaram que estavam prestes a sair para buscar a droga em Nova Almeida. A polícia então acompanhou os dois e chegou até Aldimar e David, que os esperavam com 5 kg de maconha.

Para a polícia, a droga seria vendida na própria região de Serra Dourada. Os suspeitos serão autuados por tráfico de drogas e associação ao tráfico. Agora, a polícia vai investigar a origem da droga para saber se há mais envolvidos nas transações.

"A investigação vai continuar porque a gente sabe que, depois de fracionada, essa droga é distribuída para vários pontos e, certamente, tem outras pessoas envolvidas, tanto na venda como na entrega dessa droga, também em Nova Almeida", destacou Rodrigo Rosa.