• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Morte de homem após carona na Serra foi encomendada

  • COMPARTILHE
Polícia

Morte de homem após carona na Serra foi encomendada

O crime foi planejado para parecer que havia sido um assalto

Foi preso o homem apontado como executor do assassinato de João Frolich, de 51 anos, morto em julho deste ano na Serra. O motivo do crime, de acordo com a polícia, foi por conta de uma moto que ele comprou. A vítima recebeu um veículo de valor menor e não aceitou ser passado para trás.

Marcos Santos Teixeira, de 25 anos, foi preso pela Delegacia de Crimes Contra Vida (DCCV) da Serra, na tarde de terça-feira (12), na cidade de São Mateus. Orientado pelo advogado, não quis falar com a imprensa, mas de acordo com a polícia, ele é o assassino confesso de João. “O executor confessa o crime com riquezas de detalhes. A motivação do crime está relacionada com uma transação mal sucedida entre o mandante e a vítima”, afirmou o delegado Rodrigo Sandi Mori.

O crime aconteceu em uma estrada da BR 101. Foi na altura do bairro Belvedere, a poucos metros do posto da Polícia Rodoviária da Serra. João morava em Linhares e seguia para Vitória a trabalho. Iria para o aeroporto para buscar o patrão que chegava de uma viagem. Ele deu carona para duas pessoas. Uma mulher que era amiga dele e um homem que ele não conhecia.

A mulher foi ferida na perna. Mesmo assim, caminhou até o posto da PRF, onde pediu ajuda. Logo após o início das investigações, a polícia concluiu que o assalto foi simulado. Era só uma forma de camuflar o que de fato havia acontecido. João foi executado por causa da negociação mal sucedida da compra da moto.

“A vítima teria acordado a compra de uma motocicleta com o mandante, teria dado uma entrada de R$ 19,5 mil, mas ele recebeu uma moto diferente do que foi acordado. Isso gerou um descontentamento na vítima, eles começaram a ter discussões, pois a vítima queria o dinheiro de volta e o mandante ficava enrolando. Até que o mandante contratou um executor que cometeu o crime”, disse o delegado.

O plano para se vingar da vítima foi cuidadosamente calculado, explicou Sandi Mori. “O mandante sabia que a vítima viria até Vitória, levou o executor até Linhares para pegar a carona e entregou uma arma para ele. O mandante também seguiu o carro desde Linhares. Após o crime, o executor entrou no carro do mandante e juntos voltaram para São Mateus”, relatou.

O mandante do crime, o homem que vendeu a moto para a vítima, Magno Nunes, de 35 anos, foi preso pela equipe da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) da Serra no dia 27 de setembro deste ano. Ele negou participação no crime.