• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Vídeo e mensagens de Hilário apontam contradição em depoimento após morte de médica

  • COMPARTILHE
Polícia

Vídeo e mensagens de Hilário apontam contradição em depoimento após morte de médica

Para a polícia ele disse que a separação estava acontecendo de forma consensual, mas mensagens com o cunhado revelaram que ele não queria o divórcio

Informações do inquérito que investiga a morte da médica Milena Gottardi, de 38 anos, em setembro deste ano, concluíram que o policial civil Hilário Frasson, marido da vítima e apontado como o mandante do crime, não aceitava o fim do relacionamento. Mas em depoimento à polícia, o acusado afirmou que a separação acontecia de forma consensual. 

Só que não foi o que apontaram as mensagens e ligações trocadas com o cunhado antes do assassinato acontecer. Em um dos diálogos ele deixou claro que queria manter o relacionamento. Chegou a afirmar que queria procurar um psiquiatra e até deixaria de beber.

>> Caso Milena: acusados trocaram mais de mil ligações antes e após o crime

De acordo com o inquérito, na mesma conversa ele disse ao cunhado: "vou deixar ela comandar literalmente a minha vida. Vale a pena tudo para manter nossa família". Nesse período Milena já estava decidida a pedir o divórcio em maio. A partir desse momento, Hilário teria começado a influenciar as duas famílias para impedir o processo de separação. Em abril, a médica conseguiu na Justiça uma liminar que o obrigava a sair da casa que morava com a família.

Em um vídeo gravado pelo policial civil dias antes da morte de Milena, ele apareceu dentro do carro, bastante emocionado, pedindo a família de volta. No fundo tocava uma música da banda Coldplay com a letra sobre separação.

Segundo o inquérito, nas mensagens trocadas no dia 14 de setembro, quando o crime aconteceu, Hilário parecia estar mais conformado com a separação. Mesmo assim, chegou a dizer para o cunhado que não desistiria nunca.

Ainda com informações do inquérito, a Polícia Civil concluiu que houve contradição no padrão das mensagens trocadas entre o acusado e o cunhado desde o início do processo de separação. Elas contradizem o que o suspeito disse à polícia um dia após a morte da médica, quando afirmou que o divórcio acontecia de forma consensual e amigável.

No inquérito consta ainda que Hilário fez pesquisas em sites de pornografia após a morte da médica. Comportamento que, segundo as investigações "não condiz com um homem enlutado, o qual demonstrou nas mensagens ao longo dos meses, ao se apresentar apaixonado e disposto a mudanças para resgatar sua família". 

Milena foi baleada na cabeça no dia 14 de setembro quando saía do trabalho, no estacionamento do Hospital das clínicas, em Vitória. Ela foi socorrida, mas teve morte cerebral no dia seguinte.

Veja a conversa de Hilário com o cunhado no dia do crime:

Cunhado: Como está? Que anda fazendo?
Hilário: Bom dia. Coração só tristeza
Cunhado: Q q manda? Já está morando em Vix?
Hilário: Falta pegar uns documentos com a Milena só
Cunhado: Tenho conversado com ela de novo mas ela está resistente
Hilário: Não desisto nunca irmão. Amo ela demais
Cunhado: Mas vc acha q ela vai voltar atrás....?
Hilário: Quero sempre acreditar nisso. Vou ser romântico e educado com ela sempre. Eu sei que tem um pouco de amor por mim ainda
Cunhado: Acho q ela nao volta atrás mais não....falou q está decidida...mas..
Hilário: Não desisto

Assista ao vídeo de Hilário: