• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Capixabas apoiam Lava Jato e não querem candidatos ficha-suja

  • COMPARTILHE
Política

Capixabas apoiam Lava Jato e não querem candidatos ficha-suja

Pesquisa realizada pela Flexconsult confirmou que cerca de 75% dos entrevistados aprovam as ações da operação, que já condenou 220 pessoas, dentre elas políticos e poderosos empresários, em todo o Brasil

A valorização da Operação Lava-Jato e a certeza que a maioria dos capixabas não toleram mais a corrupção e políticos ligados a escândalos foi comprovada por pesquisa realizada recentemente pelo Flexconsult, Instituto de Pesquisa de Opinião e Mercado.

A pesquisa, realizada este mês com 400 moradores de cidades da Grande Vitória, contou com a participação de pessoas de todas as classes sociais, faixas etárias e níveis de escolaridade, confirmou que cerca de 75% dos entrevistados aprovam as ações da operação, que já condenou 220 pessoas, dentre elas políticos e poderosos empresários, em todo o Brasil.

Outro dado importante foi sobre a possibilidade dos ficha-suja, ou seja, os condenados na justiça em segunda instância por corrupção terem o direito de disputar as eleições. Dos quase 400 entrevistados, cerca de 325 foram contrários a possibilidade.

Para o presidente da ONG Transparência Capixaba, Edmar Camata, o resultado das pesquisas reflete exatamente o que deve acontecer durante as eleições deste ano. "As respostas são harmônicas, mostram claramente que os brasileiros querem o combate a corrupção, independente de quem seja o condenado. É um indicativo de que a população não vai querer eleger corruptos, ela vai estar atenta a uma política de resultados, de tirar o país desse quadro de desvios de recursos públicos e corrupção", explica.

Mesmo elogiando a atuação da Lava Jato em seus quatro anos, Camata faz um alerta sobre uma possibilidade que pode acontecer este ano. "Foram 220 condenações da Lava Jato em quatro anos. No entanto, nenhum político com foro privilegiado foi condenado. Então, é algo que os políticos vão buscar e só tem um ingrediente que pode mudar isso: o eleitor. Esse é um motivo para ir as urnas e não fugir dela" frisou.

Lula

Condenado a 12 anos e um mês de reclusão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex, o ex-presidente Lula seria um dos "afetados" pela opinião da população quanto ao presença dessses políticos em uma disputa eleitoral, apesar de liderar pesquisas políticas de intenção de voto.

"O lula é uma forte liderança e o reconhecimento das lutas e bandeiras que ele levantou são lembradas nesses períodos de intenção de voto. Mas está muito claro que a população diz que o corrupto tem que ser punido independente de quem ele é", concluiu.

O diretor da FlexConsult e cientista político, Fernando Pignaton, também ressaltou os números da pesquisa. "É muito importante saber que uma esmagadora parte da população apoia a condenação em segunda instância e, se isso for cancelado, vai passar uma mensagem de esquecimento a democracia. É uma decisão que pode fortalecer ou enfraquecer muito a justiça brasileira", disse.

Mobilização popular

Pignaton também ressaltou a mobilização dos brasileiros por uma eleição limpa, através do Ficha Limpa. "Acho que um dos marcos mais importantes na história política do Brasil foi a mobilização popular para que as eleições sejam limpas. É um marco de consciência jurídica e se a lei da ficha limpa for derrubada vai marcar um imenso retrocesso jurídico do Brasil", finalizou.