• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

PTB vai indicar Aridelmo Teixeira para cabeça de chapa ao governo

  • COMPARTILHE
Política

PTB vai indicar Aridelmo Teixeira para cabeça de chapa ao governo

O partido, que não assinou a carta conjunta divulgada pela base aliada que referendou apoio a Ricardo Ferraço e Amaro Neto, diz desejar um nome novo na política e de perfil mais técnico

Alex Pandini

Redação Folha Vitória
Aridelmo Teixeira é contabilista e preside a Fucape e o movimento empresarial ES em Ação | Foto: Divulgação/Youtube

Numa semana marcada pela reviravolta causada pela desistência do governador Paulo Hartung (MDB) de concorrer à reeleição, o PTB resolveu colocar o bloco na rua. O partido, que compõe a base aliada do governador, confirmou nesta quarta (11) que vai indicar três nomes na próxima reunião do grupo, marcada para quinta (12), onde se pretende definir quem será o candidato do blocão em substituição a Hartung. 

Na mesa de negociação, O PTB vai colocar à disposição os nomes dos empresários Aridelmo Teixeira, que é presidente da Fundação Capixaba de Pesquisas (Fucape) e do movimento empresarial Espírito Santo em Ação, Haroldo Santos Filho, advogado e engenheiro, que é secretário-geral da sigla, e Serjão Magalhães, empresário do ramo de seguros e presidente estadual do PTB. O partido não assinou a carta divulgada na última terça (10) pelos partidos MDB, PSDB, Patriota, Pros, PSD, PRP, PRB, PMN e SDD, na qual definem apoio a dois nomes: o do senador Ricardo Ferraço (PSDB) e o do deputado estadual Amaro Neto (PRB).

Também nesta quarta, o vice-governador César Colnago fez um movimento para se tornar o candidato ao governo pelo grupo hartunguista.

Perfis técnicos

De acordo com Haroldo Santos Filho, o PTB considera normal que neste momento sejam apresentadas alternativas, e que isso não vai provocar qualquer risco de afastamento dos partidos que integram a base aliada. Ele defende o próprio nome e dos dois correligionários em função de serem "mais compatíveis com o debate que se coloca, de oferecer novidades e perfis mais técnicos ao eleitorado".