• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Câmara de Jaguaré instaura CPI para apurar irregularidades cometidas pelo prefeito da cidade

  • COMPARTILHE
Política

Câmara de Jaguaré instaura CPI para apurar irregularidades cometidas pelo prefeito da cidade

Na denúncia, protocolizada por dois munícipes, constam oito irregularidades, dentre elas utilização de veículos e máquinas oficiais em proveito próprio; e compra de produtos e mercadorias sem licitação

Os vereadores de Jaguaré, no Norte do Estado, decidiram abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar supostas irregularidades político-administrativas realizadas pelo prefeito interino da cidade, Ruberci Casagrande (DEM), que podem levar a cassação do chefe do executivo municipal.

Aberta durante a sessão da última segunda-feira (17), a CPI foi aceita por unanimidade pelos vereadores presentes na sessão. 

Na denúncia, protocolizada por dois munícipes, constam oito irregularidades, dentre elas utilização de veículos e máquinas oficiais em proveito próprio; compra de produtos e mercadorias sem licitação e em desacordo com o objeto do contrato; nomeação de servidor contra expressa disposição de lei em cargo inexistente; e superfaturamento em compras de produto.

O vereador Gustavo Sossai (PMN), relator da Comissão, afirmou que até a próxima segunda-feira (24) o prefeito será notificado para apresentar sua defesa, que precisará ser feita em 10 dias. "Nós vamos analisar com muita transparência, dentro da legalidade e garantindo sempre o direito do contraditório e ampla defesa", frisou Sossai.

Caso o parecer da Comissão seja aceito, a denúncia contra o prefeito vai para plenário onde será votada, podendo resultar, caso seja aprovada pela maioria, na cassação de Ruberci Casagrande.

A reportagem do Folha Vitória não conseguiu contato com o prefeito para responder as denúncias.

Interino

Vice-prefeito de Jaguaré, Ruberci assumiu o governo municipal em abril deste ano, após o afastamento do prefeito Rogério Feitani, suspeito de cometer fraudes em licitações e em processo seletivo para contratação de servidores públicos, deflagrada pelo Ministério Público do Espírito Santo (MP/ES) na Operação "Arremate".

A Comissão Parlamentar Processante foi sorteada ontem e está composta por três vereadores Dejair de Siqueira (Presidente), Gustavo Sossai (Relator) e Jorge Morelo (Membro).