• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Ministros negam irregularidades no Tribunal de Contas

  • COMPARTILHE
Política

Ministros negam irregularidades no Tribunal de Contas

Segundo o ministro, quando o relatório da Polícia Federal foi concluído, preparou um memorial e entregou à Procuradoria-Geral da República

O presidente do Tribunal de Contas da União, Raimundo Carreiro, informou, por meio de nota, que o inquérito da Polícia Federal sobre o caso UTC foi aberto há cerca de dois anos e, imediatamente, "no intuito de colaborar com as investigações", quebrou seus sigilos bancário, fiscal e telefônico, prestando os esclarecimentos solicitados.

O ministro afirmou que, quando o relatório da PF foi concluído, preparou um memorial e o entregou à Procuradoria-Geral da República. Oportunamente, disse Carreiro, o documento será entregue ao Supremo Tribunal Federal. "Aguardo com muita serenidade o resultado das investigações pelo Ministério Público e pelo Supremo Tribunal Federal, com a certeza de que tudo será esclarecido, pois, da leitura do relatório, concluo que, se houve irregularidades na licitação de Angra 3, estas ocorreram fora da esfera do TCU", afirmou.

Aroldo Cedraz, em nota de sua assessoria, reiterou "sua total isenção, já demonstrada ao longo de onze anos de atuação como magistrado". "Suas ações sempre se pautaram pela ética, lisura e respeito aos princípios republicanos. Caso seja instado a prestar esclarecimentos, ele o fará no âmbito do devido processo legal", disse o comunicado.
A reportagem enviou questionamentos na quinta-feira passada a Tiago Cedraz. Na sexta-feira e ontem, sua assessoria informou que estava providenciando uma manifestação para enviar à reportagem, mas até a conclusão desta edição não houve resposta.

A assessoria de imprensa do TCU informou que o assessor Maurício Lockis não quis se pronunciar. A assessoria de Luciano Araújo, procurada na sexta-feira e ontem, não respondeu aos contatos da reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.