• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Contra aumento tributário, Maia defende reformas e privatizações para superar a crise Política

  • COMPARTILHE
Política

Contra aumento tributário, Maia defende reformas e privatizações para superar a crise Política

Para Rodrigo Maia, a população já entendeu a necessidade de se realizar reformas, com a trabalhista e a da previdência

Em visita oficial ao Estado nesta sexta-feira (01), o presidente em exercício, Rodrigo Maia, após reunião com o governador Paulo Hartung e empresários do setor de Rochas Ornamentais, concedeu entrevista coletiva em que comentou sobre a carga tributária do país, as necessidades das reformas e das privatizações.

Carga Tributária

Segundo Maia, o Brasil tem uma carga tributária de um país  europeu, mas com serviços que ficam muito aquém. "Enquanto o Brasil não tiver as condições de gestão de qualidade na educação, na saúde, na segurança que estes países desenvolvidos tem, a gente não pode tirar da sociedade tanta carga tributária. 

Acho impossível que a Câmara dos deputados aceite  qualquer tipo proposta  que venha aumentar ainda mais a carga tributária e essa é uma posição majoritária na Câmara. Um exemplo foi o que aconteceu com a proposta de aumentar o imposto de renda para atingir a meta fiscal. Como presidente da Câmara, me posicionei que a casa não aprovaria e o governo desistiu. No plenário, qualquer proposta de aumento de alíquota não tem voto", afirmou. 

Reformas

Para Rodrigo Maia, a população já entendeu a necessidade de se realizar reformas, com a trabalhista e a da previdência. "Em 2001, eu votei a reforma trabalhista do governo Fernando Henrique. Era uma reforma bem pequena e eu quase perdi a eleição em 2002 por conta de uma votação que nem terminou, pois o senado acabou não votando. Agora, o governo mandou uma reforma tímida e nós fizemos uma verdadeira revolução na legislação trabalhista. A população aceitou porque também já cansou do discurso político fácil. Quanto mais a gente fala, mais as pessoas estão percebendo que é melhor a reforma para cortar privilégios. Não tem solução sem reformar o estado brasileiro. Inclusive para a classe política, onde a proposta é de 65 anos de idade minima com 35 anos de contribuição", destacou

Privatizações

Para o presidente em exercício, a agenda de privatizações proposta pelo governo federal vai ajudar na superação da crise. "Tenho certeza de que tudo que estamos vendo está ajudando o Brasil em varias frentes, mas uma especial que acho mais importante, que é voltar a ter coragem de discutir privatização no brasil. As empresas públicas brasileiras tem muito servidor de qualidade. Agora a gestão das empresas publicas infelizmente ficam muito aquém. E toda a crise serve para a gente possa renovar. Nesse caso, vai nos ajudar para que a gente tenha uma estado mais enxuto. E não tenho dúvida nenhuma, que todos os bons profissionais presentes nessas estatais serão absorvidos por essas empresas", disse. 

O Presidente em exercício chegou ao Estado na manhã desta sexta-feira e cumpriu agenda na Região Norte do Estado com o governador Paulo Hartung. Após a coletiva, o Rodrigo Maia embarcou para Brasília.