• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Deputados capixabas aprovam envio de denúncia contra Temer para a Câmara

  • COMPARTILHE
Política

Deputados capixabas aprovam envio de denúncia contra Temer para a Câmara

O prosseguimento da denúncia para a Casa não causou espanto em Givaldo Vieira (PT). No entanto, ele não acredita em um desfecho diferente da última denúncia, vetada pela maioria dos deputados

O envio da segunda denúncia contra o presidente Temer à Câmara dos Deputados, encaminhada na tarde desta quinta-feira (21) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com o parecer positivo de 10 ministros, causou preocupação aos deputados capixabas.

O deputado federal Givaldo Vieira (PT), um dos oito deputados capixabas a votar a favor do prosseguimento da última denúncia, não se surpreendeu com a aprovação do texto. No entanto, ele não acredita em um desfecho diferente do anterior.

"Já estava anunciada que essa denúncia seria encaminhada. Pelo que foi anunciado, ela é igualmente grave, similar a primeira denúncia e a minha posição será a mesma [de votar a favor do prosseguimento], para que o Supremo seja autorizado a processar o presidente. No entanto, infelizmente, o que eu percebo é que como ocorreu na primeira vez pode haver uma compra de votos aqui na Câmara", frisou o deputado, preocupado com o aumento na liberação de emendas para os aliados.

"Corre nos bastidores da Casa que o governo tem R$ 20 bilhões para remanejar na peça orçamentária", garante Givaldo.

Eleições

Outro deputado a se manifestar a favor do prosseguimento da denúncia foi Sergio Vidigal (PDT), que sugeriu também nova eleições.

"Essa segunda denúncia contra o presidente Temer só vem reforçar a culpa dele e que ele não tem mais condições de ser presidente do Brasil. Por isso, voto a favor desse processo no plenário e de todos os outros que possam vir a chegar na casa. Por fim, defendo a convocação de novas eleições para que a população tenha o direito de escolher o seu governante", concluiu.