• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Movimento pretende fazer as pessoas refletirem sobre a Violência Contra a Mulher

  • COMPARTILHE
Política

Movimento pretende fazer as pessoas refletirem sobre a Violência Contra a Mulher

O vídeo do movimento lançado pelo Governo do Estado já teve mais de um milhão de visualizações nas redes sociais e o número de denúncias, através do telefone 181, já aumentou em 25%

O Movimento de Combate à Violência Contra a Mulher, lançado pelo Governo do Estado no último dia 10, em Vitória, na manhã desta sexta-feira (20), em Cachoeiro, já tem gerado bons resultados. O vídeo do movimento teve mais de um milhão de visualizações nas redes sociais e o número de denúncias, através do telefone 181, de violência já aumentou em 25%.

Para a secretária Estadual de Comunicação Social, Andreia Lopes o movimento serve para inspirar e levar as pessoas a uma reflexão. “As pessoas precisam refletir em: como posso ajudar? O Governo precisa ter políticas públicas, mas sozinho não resolve e precisamos envolver a sociedade e estimular os capixabas. Acreditamos que o envolvimento é por uma grande causa, a defesa da vida das mulheres”, ressalta.

O Espírito Santo é o quinto estado do Brasil onde mais se mata mulheres. “Temos que pregar a tolerância e a cultura de paz para revertemos essa realidade que ainda é ruim para o Estado. Cada pessoa pode fazer a sua parte, em casa, na escola, com amigos e o debate com a sociedade. Não dá para ser indiferente com os casos de agressão. Queremos passar uma mensagem de paz”, continua a secretária.

O envolvimento dos capixabas pode mudar a realidade do Estado. “Cada um pode encontrar um jeito de ajudar, Seja reproduzindo o vídeo do movimento, seja conversando com o filho sobre não espalhar nude da colega, seja conversando com os vizinhos. O objetivo e provocar uma reflexão. Minha irmã é professora na faculdade de direito em Cachoeiro e ele propôs aos alunos de Metodologia Política a fazer um trabalho sobre o movimento e sobre os casos de violência. A Rede Vitória também deu uma contribuição importante e está fazendo seu papel. Conseguimos uma inserção gratuita por dia na TV e estamos divulgando o movimento para mais pessoas”, completa Andreia.