Saiba qual é a melhor máscara para se proteger da Ômicron

Saúde

Saiba qual é a melhor máscara para se proteger da Ômicron

Especialistas e secretário de saúde do Espírito Santo orientam sobre o tipo correto para evitar a contaminação pelo coronavirus e destacam o que não usar

Dayse Torres

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução/Pexels

A variante Ômicron é uma realidade mundial e os cuidados para evitar a contaminação e a transmissão da covid-19 devem ser intensificados. Já está comprovado que o uso da máscara é uma das medidas de segurança mais eficazes, mas qual seria a melhor máscara neste momento? 

Há realmente uma que pode nos proteger mais? A verdade é que, independentemente de qual máscara estiver nos nossos rostos, o item é algo essencial no dia a dia.    

Em entrevista à rádio Pan News Vitória, na manhã desta terça-feira (11), o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, ressaltou que, mesmo vacinadas, as pessoas precisam continuar usando máscaras para evitar a contaminação. 

"Não é o caso de usar uma máscara que seja mais confortável, mas sim aquela que melhore a barreira física e que reduza o risco de transmissão da covid-19 e de suas variantes. A recomendação é o uso da PFF2, mas todas reduzem o risco. Algumas vão reduzir mais e outras vão reduzir menos. O importante é usar", ressaltou. 

Nos Estados Unidos, devido ao grande número de casos relacionados à variante Ômicron, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) deve atualizar as recomendações de prevenção ao coronovavírus, como divulgou o jornal Washington Post. A previsão é de que o órgão determine o uso das máscaras N95 (PFF2 no Brasil) ou KN95. 

Para o infectologista Alexandre Rodrigues da Silva, levando em conta a gravidade da variante Ômicron, as máscaras PFF2 (N95) são as melhores opções, pois oferecem maior segurança quanto à contaminação.  As PFF2 têm, por exemplo, poder de filtragem, o que as máscaras de pano não têm.

Leia também: 

A sigla PFF significa peça facial filtrante. No país existem três tipos: PFF1, PFF2 e PFF3. As máscaras desse tipo são uma peça facial constituída parcial ou totalmente de material filtrante que cobre o nariz, a boca e o queixo. Necessariamente, uma PFF deve possuir pelo menos uma camada de filtro.    

Se não for possível, Alexandre Rodrigues da Silva aconselha a compra de máscaras cirúrgicas descartáveis

"Estes modelos são os ideais, devido `à maior proteção que oferecem. Porém, devido ao alto custo, nem todas as pessoas têm como adquiri-las. Neste caso, a segunda alternativa são as máscaras cirúrgicas descartáveis. O que as pessoas precisam entender é que a melhor máscara é a que está no rosto e não no pescoço ou na mão. Se não é possível comprar a N95 ou a cirúrgica, use a de pano. Não é a ideal, mas ninguem pode ficar sem proteção", disse ele.     

A infectologista da Unimed Vitória Carolina Salume também indica o uso das máscaras PFF2 ou N95. De acordo com a médica, com o aumento do número de casos de covid-19 relacionados à variante Ômicron, cepa com alta capacidade de transmissibilidade, faz-se necessário idealmente o uso de máscara de maior poder de proteção. 

"As máscaras cirúrgicas bem acopladas ao rosto e cirúrgica sob máscara de pano com três camadas também são capazes de conferir proteção. Já as máscaras de tecido simples devem ser evitadas. Se possível, é melhor investir na N95 neste momento, mas, se não não for possível, as outras opções também protegem, mesmo que em menor grau, e devem ser sempre encorajadas", acrescentou ela.  


Como saber se a máscara está bem ajustada no rosto?

A máscara, antes de mais nada, precisa estar bem ajustada ao rosto. Para verificar a vedação, use as duas mãos para cobrir a maior parte possível da superfície da máscara e expire. Cheque se há vazamento de ar pelas laterais. 

Venda de máscaras na internet

Em uma rápida busca na internet, é possível encontrar uma unidade de máscara N95 a partir de R$ 1,95. 

Para quem preferir adquirir kits, há embalagens com 20 máscaras por R$ 23,74. Já um kit com Kit 100 unidades, pode ser comprado por R$ 78,99.