• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Botox que não sai': já ouviu falar de lipoenxertia?

Saúde

'Botox que não sai': já ouviu falar de lipoenxertia?

Harmonização facial feita com gordura do próprio corpo permanece definitiva com o mesmo efeito do botox

Larissa Agnez

Redação Folha Vitória
Foto: Pixabay

A medicina tem criado diversas técnicas para garantir uma aparência mais jovem e saudável. O botox é um dos procedimentos mais procurados para esconder rugas, aumentar os lábios, remodelar o nariz e promover a harmonização da face. O que muitos não sabem é que a lipoenxertia, técnica realizada por um cirurgião plástico, com a gordura do próprio corpo do paciente, garante o efeito botox "sem prazo de validade". 

“O preenchimento realizado com a gordura do paciente garante o mesmo efeito do ácido hialurônico, o famoso botox. A grande diferença está no tempo de duração. O botox dura em média, 08 a 12 meses, já o preenchimento realizado com a gordura do próprio corpo não sai. Com o passar dos anos a pele vai perdendo a firmeza, mas a ruga preenchida, permanecerá preservada”, disse o cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Adriano Batistuta.

Para realizar a técnica é necessário que antes seja realizada uma lipoaspiração da gordura de alguma parte do corpo, para que esta seja utilizada no preenchimento. “É muito comum o paciente optar pelo preenchimento após a lipoaspiração, mas também existem os que querem preencher e não necessariamente teriam a indicação para fazer uma lipo, nesses casos, retiramos um pouco da gordura do abdômen, flancos e quando a pessoa já é sequinha e não tem gordura nessa região, retiramos um pouco da gordura da coxa ou até da parte de cima dos joelhos, e realizamos o preenchimento”, disse.

A gordura atua como um preenchedor natural. Segundo Adriano, durante o preenchimento o paciente recebe a enxertia da própria gordura e também as células-tronco. “As células-tronco melhoram a vascularização e a qualidade da pele, deixando-a mais brilhante, espessa e auxiliando na correção das cicatrizes, também atua na produção de colágeno, que garante a firmeza da pele”, pontuou.

Sobre os riscos de deformidades na face o médico garante que novos estudos já indicam a quantidade média de gordura presente em cada região do rosto e o quanto se deve injetar, reduzindo as chances de exageros.

“Hoje, o paciente quer realizar o rejuvenescimento da face com resultado mais natural possível. O desenvolvimento de estudos e tecnologias tem contribuído, e os resultados das cirurgias para conquistar a reposição de volume, redução de rugas e melhora no contorno facial estão cada vez mais bem sucedidas e com resultados encantadores”, disse.

Não é possível mencionar a média de anos rejuvenescidos com a técnica, pois isso depende de muitos fatores, como a qualidade da pele e o estilo de vida da pessoa que se submeteu ao procedimento.