• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Alerta: lipoaspiração não deve ser realizada em pessoas obesas

Saúde

Alerta: lipoaspiração não deve ser realizada em pessoas obesas

O procedimento funciona em pessoas que desejam retirar a gordura de uma determinada área do corpo, mas não como forma de emagrecimento

Foto: Divulgação

Diferente do que a maioria pensa, a lipoaspiração não é um procedimento que foi criado para ajudar a emagrecer pessoas que estão sofrendo de obesidade ou que estão muito acima do peso. A lipo, como é conhecida, foi criada para remodelar o corpo, ou seja, dar uma "forcinha" para retirar uma gordurinha que insiste em ficar armazenada em determinado local.

De acordo com o cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Adriano Batistuta a função do procedimento é retirar os excessos de gordura das mais variadas partes do corpo, ou seja, da barriguinha, culotes flancos, papada e até das áreas mais íntimas, como o monte de vênus, que é o famoso capô de fusca. 

“A lipoaspiração não é um tratamento que auxilia no emagrecimento, e não tem a função de substituir de maneira alguma a prática de exercícios físicos e a adoção de bons hábitos alimentares. Ao contrário do que muita gente pensa, o procedimento é indicado para pessoas, que estão dentro do peso ou um pouco acima e que sentem incomodo com alguma gordurinha que se encontra localizada, mas não como forma de emagrecimento”, disse.

Segundo recomendações da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a quantidade de gordura retirada na lipoaspiração deve ser, no máximo entre 5% a 7% do peso corporal. "O procedimento surgiu para melhorar o contorno corporal. Retirar apenas os excessos e dessa maneira promover um contorno mais harmônico".

A Lipoaspiração é a cirurgia plástica mais realizada no mundo e com baixíssimos índices de complicações, mas como todo procedimento cirúrgico, apresenta riscos. Quanto maior for o procedimento, ou seja, quanto mais gordura for retirada e maior a área a ser lipoaspirada, maior será o risco.

“Todo procedimento cirúrgico envolve riscos, o que deve ser feito pelo paciente antes de se submeter a qualquer procedimento é saber em quais condições a cirurgia será realizada, ou seja, qual será o local? A infraestrutura? O médico é capacitado para realizar o procedimento? Tudo isso é fator que as pessoas devem considerar determinantes antes de se submeter a uma cirurgia”, alertou o cirurgião plástico.

“Não omita informações sobre o seu histórico de saúde. O profissional que vai te operar deve estar a par de tudo, inclusive se o paciente fez uso de algum tipo de droga. Omitir esse tipo de informação pode comprometer toda a segurança do procedimento e colocar a própria vida em risco”, frisou.

Seguir à risca todos os exames pré-operatórios é fundamental, pois são eles que vão indicar possíveis contraindicações à lipoaspiração ou se será necessário algum cuidado especial.

Após a realização da lipo é fundamental que sejam realizadas drenagens linfáticas por um determinado período de tempo. O procedimento deve ser realizado por profissional experiente da área de estética. A drenagem reduz os edemas e previne a formação dos nódulos cicatriciais, comumente chamados de fibroses.