1ª dose aumenta proteção contra variantes só em quem já teve covid, diz estudo

Saúde

1ª dose aumenta proteção contra variantes só em quem já teve covid, diz estudo

Os resultados da pesquisa estão relacionados às variantes do coronavírus da África do Sul e do Kent, mas os cientistas acreditam que também se aplique a outras cepas em circulação

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Prefeitura de Cariacica

Um estudo realizado por pesquisadores britânicos concluiu que a primeira dose de uma vacina contra a covid-19 aumenta a proteção contra as novas variantes do coronavírus, mas apenas em pessoas que já foram infectadas anteriormente.

De acordo com os cientistas que lideraram a pesquisa na Imperial College London, na Queen Mary University of London e na University College London, a resposta imune às variantes naqueles que ainda não tiveram a doença pode ser insuficiente. Os resultados do trabalho foram publicados na revista Science na sexta-feira, dia 30 de abril.

"Este estudo destaca a importância da segunda dose da vacina para proteger a população", afirma a professora Rosemary Boyton, do Departamento de Imunologia e Medicina Respiratória do Imperial College London. 

Durante o estudo, os profissionais analisaram as respostas imunológicas em trabalhadores da saúde do Reino Unido após a aplicação da primeira dose do imunizante produzido pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech.

Os resultados da pesquisa estão relacionados às variantes do coronavírus da África do Sul e do Kent, mas os cientistas acreditam que a conclusão do estudo também se aplique a outras cepas do coronavírus em circulação, como a do Brasil (P.1) e as da Índia (B.1.617 e B.1.618).