Conheça 5 mitos relacionados à saúde e saiba como se proteger das fake news

Saúde

Conheça 5 mitos relacionados à saúde e saiba como se proteger das fake news

A desinformação afeta a vida da população em todos os aspectos e, quando o assunto é saúde, os danos podem ser ainda maiores

Foto: EBC

A desinformação é um problema grave e que vem sendo combatido ao longo dos últimos anos. As chamadas fake news, disseminadas nas redes sociais e grupos de aplicativos de conversas, levam à sérias consequências, criando um ambiente de  incertezas em meio à população.

Em uma publicação, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), destacou que o surto provocado pela covid-19 e a reposta ao problema tem sido acompanhados pela infodemia.

E ela não está ligada apenas ao coronavírus, não. Esse excesso de informações sobre um determinado tema, por muitas vezes errado, em geral é produzido por fontes não confiáveis para gerar insegurança.

A reportagem do Folha Vitória listou alguns temas bastante difundidos que vão te ajudar a esclarecer 5 mitos. Veja só:

"Tomar banho ou nadar após comer faz mal"

Mito. Especialistas afirmam que a relação existe, porém, não tem nada a ver com a água em si ou a submersão, por exemplo.

A questão está diretamente ligada ao esforço físico, como a natação ou brincadeiras no mar ou na piscina que acabem demandando atividades moderadas ou intensas. Esses "esforços" é que acabam levando a algo indesejado.

Segundo o cirurgião do aparelho digestivo Olivio Batistti Neto, o que pode acontecer é que um esforço físico importante produz um desvio do sangue do sistema digestivo para a musculatura. 

"No período pós-alimentar o sistema digestivo produz hormônios que aumentam o fluxo sanguíneo nos órgãos responsáveis pela digestão, para que eles possam realizar suas funções. Então não é recomendado realizar esforço físico logo após a alimentação, principalmente as refeições mais pesadas".

Portanto, se o dia é de churrasco à beira da piscina, ou comilanças na praia, o melhor mesmo é esperar um tempo antes de se aventurar em excesso dentro da água. 

Ainda de acordo com Batistti, o fato é que quando a chamada dispepsia (sintomas relacionados à má digestão) acontece é comum que a própria pessoa reduza o esforço praticado devido ao mal-estar que ela sente. O médico disse também que tomar banho após comer algo não faz mal à saúde

"Exposição à radiação do forno microondas provoca câncer"

Mito. Não existe comprovação cientifica de que a exposição à radiação do forno microondas ou que a ingestão de alimentos aquecidos no aparelho, assim como a proximidade com antenas de celulares e até mesmo o ato de voar com frequência possam causar tumores.

Já o hábito de colocar comida quente em vasilhas plásticas deve ser banido do dia a dia. "Alguns plásticos possuem elementos químicos que são realmente muito prejudiciais, no rótulo geralmente tem a informação se ele pode ou não ser levado para o microondas, se ele pode ou não armazenar alimentos muito quentes", disse o oncologista.

“Vacinas causam autismo”

Mito. Após ganhar força com a divulgação de um artigo escrito pelo médico Andrew Wakefield em 1998, 12 anos mais tarde, já em 2010, a hipótese foi retratada por causa da descoberta de inúmeras informações falsas, além de acordos envolvendo o pesquisador e advogados relacionados à processos por danos vacinais. 

Foto: Divulgação

"O mesmo dente não apresenta mais cárie após tratamento"

Mito. Se não houver uma higiene bucal adequada, o dente tratado pode sim ser lesionado com nova cárie. Em casos mais severos, existe a possibilidade de evoluir para um tratamento de canal, quando a polpa do dente é retirada.

Segundo a odontopediatra Alice Sarcineli, "para prevenir lesões de cárie há de se combater principalmente o consumo do açúcar, fator de risco comum a diversas crônicas não transmissíveis, como obesidade, diabetes e câncer".

"Cera em excesso na orelha pode deixar surdo"

Mito. O que acontece, na verdade, é que o acúmulo de cera pode impedir o som de chegar ao tímpano. Porém, não causa surdez. "Esse problema pode ser resolvido com a remoção do excesso de cerume e, posteriormente, a pessoa conseguirá ouvir de forma adequada", segundo a fonoaudióloga Marcella Vidal.

Isso vale para quem costuma usar hastes de algodão flexíveis para limpar as orelhas. Apesar de parecerem inofensivas, podem se tornar perigosas ao serem usadas da maneira errada, inclusive podendo danificar o tímpano levando à perda auditiva.

Por fim, como checar se uma notícia é falsa ou verdadeira? 

O Ministério da Saúde tem monitorado e já identificou uma série de informações falsas circulando nas redes sociais e também em grupos de WhatsApp, principalmente relacionadas à covid-19. 

Você pode buscar informações no site do MS e também ficar atento à algumas dicas: 

1. Em primeiro lugar, faça uma checagem do que foi divulgado em site confiáveis, como jornais e site de fontes oficiais;

2. Desconfie de notícias alarmistas;

3. Fique atento aos erros; 

4. Verifique a data de publicação;

5. Alguns sites oferecem ferramentas para pesquisar se a notícia é fake ou verdadeira; faça uma pesquisa ;

6. Ficou em dúvida? Não passe adiante.