Pílula para casos leves e moderados de covid-19 deve ser disponibilizada ao SUS em seis meses

Saúde

Pílula para casos leves e moderados de covid-19 deve ser disponibilizada ao SUS em seis meses

O Paxlovid, desenvolvido pela farmacêutica Pfizer, foi aprovado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) no SUS

Redação Folha Vitória

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

Pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) deverão ter acesso, dentro dos próximos seis meses, ao primeiro tratamento oral para quadros iniciais de covid-19. O Paxlovid, desenvolvido pela farmacêutica Pfizer, foi aprovado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) no SUS.

O uso, no entanto, será destinado apenas a pacientes adultos imunocomprometidos e indivíduos com 65 anos ou mais que tenham teste positivo para o coronavírus.

A decisão ocorre porque, mesmo vacinadas, essas pessoas correm maior risco de que seu quadro se torne grave e exija hospitalização.

O Paxlovid — uma combinação dos antivirais nirmatrelvir e ritonavir — demonstrou ser capaz de reduzir em até 89% o risco de hospitalização e morte nos grupos considerados de risco para a doença.

O medicamento deve ser tomado entre o terceiro e o quinto dia após o surgimento dos sintomas. O tratamento é feito por cinco dias.

Outro remédio também pode ser incorporado em breve ao SUS. É o molnupiravir (nome comercial Lagevrio), desenvolvido pela farmacêutica MSD (Merck Sharp & Dohme).

O medicamento obteve aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na semana passada.

Em entrevista ao Portal R7, o diretor da Unidade de Negócios de Infectologia da MSD no Brasil, Mario Ferrari, afirmou que a empresa trabalha com o horizonte de "semanas" para a liberação pela Conitec e que tem estoque para atender o SUS em até seis semanas após o pedido ser formalizado.

Com informações do Portal R7