Número de mortes e casos de meningite cresce no ES; veja quais são os sintomas

Saúde

Número de mortes e casos de meningite cresce no ES; veja quais são os sintomas

Até o último dia 25 deste mês, 105 casos foram confirmados e 28 pessoas morreram em decorrência da doença. No mesmo período de 2021, 83 foram confirmados e 19 pessoas perderam a vida

Ana Carolina Monteiro

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação
Rash da meningite (lesão não desaparece ao ser pressionada contra um vidro)

O Espírito Santo registrou, até o dia 25 desse mês, que corresponde a semana epidemiológica 25 (SE 25), 219 casos suspeitos de meningites, sendo 105 confirmados e 28 óbitos entre viral, bacteriana e fúngica.

No mesmo período do ano passado, ou seja, até a SE 25 de 2021: 209 casos suspeitos foram notificados, sendo 83 confirmados e 19 óbitos registrados entre viral, bacteriana e fúngica. Os dados foram divulgados no Boletim Epidemiológico da secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

A meningite é uma infecção das membranas que recobrem o cérebro, chamadas meninges. A doença é causada por bactérias ou vírus, porém, nem todas são contagiosas ou transmissíveis. Apesar de pessoas de qualquer idade estarem suscetíveis a contrair meningite, crianças menores de 5 anos são as mais atingidas.

LEIA TAMBÉM: >> ES registra 15 casos e cinco mortes por meningite em janeiro

São vários os agentes que levam à doença, porém, em geral, quadros decorrentes de vírus costumam ser menos graves.

Já os quadros decorrentes de bactérias são bastante perigosos e podem levar à  morte. Um outro dado importante é o de que pacientes que sobrevivem à infecção bacteriana acabam convivendo com sequelas como paralisa e surdez. A Meningite Meningocócica, por exemplo, é causada pela bactéria meningococo, e é contagiosa.

Alerta para aumento no número de casos

No início do ano, a Sesa divulgou um alerta de que o número de casos de meningite tipo C estava aumentando no Espírito Santo. No dia 7 de fevereiro de 2022, o Centro de Informações Estratégicas e Respostas em Vigilância em Saúde (CIEVS) da Sesa encaminhou às secretarias municipais de saúde, uma nota de alerta à situação epidemiológica da doença.

LEIA TAMBÉM: >> Atleta de ciclismo do ES morre de meningite e Sesa faz alerta para aumento de casos

O alerta, ocorreu devido à investigação de casos de Meningite Meningocócica C no município de São Roque do Canaã, no norte do Estado. 

Foto: Divulgação

Ainda de acordo com a Sesa, é realizada a vigilância das meningites. Estratégias de imunização junto aos municípios têm sido intensificadas. 

Entre elas, vacinação extramuros nas escolas; busca ativa de não vacinados ou com esquemas vacinais incompletos por meio das equipes de Atenção Primária em Saúde; fortalecimento dos serviços de vigilâncias e de imunização; e capacitação com as vigilâncias epidemiológicas regionais e municipais.

No Brasil, a meningite é considerada endêmica com registros de casos ao longo do ano. As meningites bacterianas são mais comuns nas épocas mais frias do ano, outono e inverno e as virais nas estações mais quentes, primavera e verão.

Conheça os sintomas da meningite

Entre os principais sintomas da doença, estão: 

- Febre alta; 
- For de cabeça;
- Rigidez de nuca;
- Manchas vinhosas grandes ou pequenas na pele; 
- Confusão mental; 
- Dor de garganta; 
- Vômitos/náuseas (nem sempre, inicialmente); 
- Sonolência; 
- Dificuldade para acordar; 
- Dor nas articulações; 
- Falta de apetite.

Prevenção e tratamento

A vacinação é a principal forma de evitar a meningite. Diante dos sintomas, o médico fará uma avaliação, além da análise preliminar de amostras clínicas. Em casos mais graves, o paciente é encaminhado para internação e o tratamento realizado com antibióticos específicos.

SUS oferece 5 tipos de vacina contra as meningites bacterianas

Os imunizantes oferecidos pela Rede Pública Estadual são:

- Vacina meningocócica C: para crianças de até 10 anos de idade que previne doença meningocócica pelo sorogrupo C; Até o dia 30 de junho também estará sendo ofertada de forma temporária para adolescentes de 13 a 19 anos.

- Vacina meningocócica ACWY: para adolescentes de 11 e 12 anos que previne quatro tipos de doença meningocócica pelo sorogrupo A, C, W e Y;

- Vacina pneumocócica 10 valente: para crianças menores de 5 anos que previne meningite pelo pneumococo;

- Vacina pentavalente: para crianças menores de 7 anos que previne meningite pelo Haemophilus influenzae tipo B;

- Vacina BCG: para crianças menores de 5 anos de idade que previne meningite tuberculosa.

Pontos moeda