Covid-19: Saúde quer urgência na aprovação de vacina para crianças até 4 anos

Saúde

Covid-19: Saúde quer urgência na aprovação de vacina para crianças até 4 anos

Dados da Sesa apontam que 50% das internações provocadas pela doença no Estado, são de crianças na faixa etária que ainda não é contemplada pelas vacinas disponíveis contra a covid-19

Ana Carolina Monteiro

Redação Folha Vitória
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

O Espírito Santo vive a 5ª onda de casos de covid-19. A informação foi confirmada secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, durante coletiva de imprensa no início da tarde desta quarta-feira (22). 

Segundo Nésio, 50% das internações provocadas pela doença no Espírito Santo, são de crianças com até quatro anos de idade, faixa etária que ainda não é contemplada pelas vacinas disponíveis contra a covid-19.

"Entre os não vacinados que internaram com covid-19, tivemos 50% do total na faixa etária de 0 a 4 anos, ainda não contemplados por vacinas autorizadas. Neste momento, considerando o impacto da cobertura vacinal nas outras idades, representa um alerta que motivou o Conass a formalizar na Anvisa a urgência na aprovação imediata de vacinas para crianças em idades ainda não contempladas. Temos a Coronavac já aplicada em crianças, a da Moderna nos EUA e o MS avança nas negociações. As crianças merecem ser protegidas", pontuou o secretário.

Leia mais: >> Covid-19: ES amplia postos de testagem na Grande Vitória. Saiba os locais

Nessa nova e atual expansão vivida em território capixaba, os casos duplicaram a cada 14 dias - em abril e maio. Após esse período, passaram a duplicar a cada 7 dias até a primeira quinzena de junho. Já na última terça-feira (21), em apenas 24 horas, segundo o secretário, o Espírito Santo saltou de 2.000 para quase 4.000 casos notificados.

"O comportamento da fase de aceleração da curva pode assumir, nesta e na próxima semana, uma fase de aceleração de crescimento semelhante a que vivemos no início do ano. Mas não acreditamos que assumirá as mesmas proporções da chegada da Ômicron".

Durante a coletiva, o secretário disse que o Estado pode alcançar nessa semana o patamar equivalente às quantidades máximas de casos que foram registrados nas semanas mais críticas das 1ª, 2ª e 3ª ondas, com exceção, apenas, da última onda. "Poderemos ter mais de 18 mil casos confirmados nesta semana, o que deve representar a 2ª semana epidemiológica mais grave", destacou.

ES não registrou óbitos em idosos com 4ª dose nos meses de abril e maio

Ainda sobre os resultados da vacinação no Estado, Nésio Fernandes disse que não foram localizados óbitos em idosos que receberam a 4ª dose contra a covid-19.

"Não foram localizados óbitos em idosos com 4ª dose, ao longo de abril e maio. Nós tivemos dois óbitos em idosos que já tinham recebido a 4ª dose, no entanto, não se considera a aplicação da última, porque adoeceram nos dias seguintes à aplicação. Ainda não havia tempo para o efeito esperado. Considerando esse critério de exclusão, não tivemos óbito nos mais de 300 mil vacinados em maio. Temos dados suficientes para evidenciar que as vacinas disponíveis são seguras e eficazes".

LEIA TAMBÉM: >> Casos de covid-19 dobraram em 24h no Espírito Santo, diz secretário

>> Teste de equilíbrio indica se uma pessoa corre maior risco de morte, diz estudo

>> Quem tomou dose da Janssen deve receber reforço? Tire suas dúvidas sobre as vacinas contra covid-19