Quem tomou dose da Janssen deve receber reforço? Tire suas dúvidas sobre as vacinas contra covid-19

Saúde

Quem tomou dose da Janssen deve receber reforço? Tire suas dúvidas sobre as vacinas contra covid-19

Cerca de 1,4 milhões de capixabas estão com alguma dose atrasada, o que tem refletido no aumento no número de casos da doença

Gabriel Barros

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Sesa

A segunda dose de reforço da vacina contra a covid-19, também chamada de 4ª dose, começou a ser aplicada em pessoas acima dos 30 anos nesta segunda-feira (20) no Espírito Santo.

Com a ampliação do público, muitas pessoas ficaram com dúvidas se já podem se vacinar. Entre os questionamentos, está em relação ao tipo de vacina. O imunizante da Janssen, por exemplo, que chegou ao Brasil como dose única já possui indicação de segunda dose e doses de reforço. 

Esta era, inclusive, uma das dúvidas da analista administrativa Priscila Borges Donatelli. Ela recebeu o imunizante da Janssen e não sabia se já poderia se vacinar com os reforços. 

"Eu vou ter direito a tomar a 3ª dose? Como vai funcionar? Vou tomar a da Janssen ou outro imunizante? Depois vou poder tomar a 4ª dose? Vários postos de saúde que a gente vai eles também não sabem explicar, estão nessa dúvida", questiona. 

O subsecretário de vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, explica que quem tomou duas da Janssen pode receber o reforço. O indicado é tomar outro tipo, como a AstraZeneca. Após quatro meses, a pessoa poderá receber a 4ª dose. A orientação de receber doses de outro imunizante no reforço vale também para quem tomou outras vacinas.

Reblin lembrou que o Espírito Santo vive uma nova onda do coronavírus e que a vacina é importante na prevenção de casos graves da doença e as mortes. 

"A internação está muito menor do que observado nas ondas anteriores, isso por causa da vacina, mas entre as pessoas que estão sendo internadas ou vindo a óbito, sempre está faltando uma dose ou não tomaram nenhuma dose", destacou. 

VEJA COMO É O ESQUEMA VACINAL CONTRA COVID-19 NO ES

No Espírito Santo, cerca de 1,4 milhões de capixabas estão com alguma dose atrasada. O número reflete no número de casos registrados no Estado nos últimos dias. Entre esta segunda (20) e terça-feira (21), foram quase 4 mil novos casos registrados. Este é o maior número em 24 horas desde fevereiro. 

Algumas pessoas ainda não receberam as doses de reforço porque têm dúvidas em relação ao tempo de espera e tipo de vacina. O Folha Vitória listou as principais regras e orientações sobre o esquema vacinal no Estado. Veja abaixo: 

Quem pode tomar a 4ª dose?

Atualmente, a 4ª dose está disponível no Espírito Santo para pessoas com 30 anos ou mais e pessoas acima dos 18 anos que fazem parte do grupo prioritário ou são imunossuprimidos. O grupo prioritário é composto por trabalhadores da saúde, da educação, das forças de segurança, internos, entre outros. 

Quem faz parte do grupo prioritário? 

Fazem parte do grupo prioritário as pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, a população privada de liberdade e trabalhadores das áreas da saúde, educação, força de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros e motoristas de transporte coletivo e portuários. 

Qual o intervalo entre as doses?

Entre a 1ª e 2ª dose, o intervalo é de 28 dias para quem receber a vacina da Coronavac e de oito semanas para quem receber os demais imunizantes (Astrazeneca, Pfizer e Janssen). Para receber as doses de reforço, é preciso aguardar três meses após a última aplicação no caso dos idosos acima de 60 e pessoas imunossuprimidas e quatro meses para os demais grupos.

Para quais idades o reforço é recomendado? 

Atualmente, a 3ª dose é recomendada para pessoas com 12 anos ou mais. Já a 4ª dose é destinada para pessoas com mais de 18 anos que façam parte do grupo prioritário ou são imunossuprimidas e para pessoas acima dos 30 anos do público geral.

Tomei a 1ª e 2ª dose da Janssen, posso receber o reforço?

Sim. As doses de reforço, tanto a 3ª como a 4ª dose, estão disponíveis para os públicos conforme idade e tempo de intervalo entre as aplicações. O reforço deve ser aplicado independente de qual foi a vacina aplicada na 1ª e 2ª dose. A recomendação é que, nas doses de reforço, sejam aplicadas vacinas diferentes das utilizadas nas doses primárias (1ª e 2ª). Essa orientação é válida para todos os tipos de vacina. 

Estou grávida, posso tomar qualquer vacina?

Não. Para as gestantes e puérperas é recomendada, preferencialmente, a aplicação da vacina da Pfizer. Se não estiver disponível, pode ser utilizada a vacina da Coronavac. As vacinas da Astrazeneca e Janssen não são recomendadas para este grupo.

Crianças podem tomar qualquer vacina?

Não. As crianças de 5 anos devem receber a vacina pediátrica da Pfizer. As crianças de 6 a 11 anos podem receber tanto a vacina pediátrica da Pfizer, quanto a Coronavac. O prazo entre a 1ª e 2ª dose é de 28 dias para quem receber a Coronavac e de oito semanas para quem for vacinado com a Pfizer. 

Pessoas imunossuprimidas podem tomar dose adicional? 

Sim. Para as pessoas imunossuprimidas é recomendado a aplicação de uma dose adicional antes das doses de reforço. É preciso aguardar oito semanas após a 2ª dose para receber a dose adicional com o mesmo imunizante aplicado nas doses anteriores. Depois, para receber as doses de reforço, é preciso aguardar o intervalo de três meses, no caso dos idosos, e quatro meses para pessoas de até 59 anos. 

Qual a diferença entre dose primária, adicional e reforço?

As doses primárias são as aplicadas na 1ª e 2ª dose. Elas precisam ser do mesmo tipo de vacina. Já no caso das doses de reforço, a recomendação é que sejam utilizados uma vacina diferente das doses primárias. A dose adicional é recomendada para as pessoas imunossuprimidas. Nesta dose, é utilizado o mesmo imunizante da dose primária.

*Com informações da repórter Luana Damasceno, da TV Vitória/Record TV.