• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Índice de jovens com covid-19 no mundo triplica em 5 meses, segundo OMS

CORONAVÍRUS

Saúde

Índice de jovens com covid-19 no mundo triplica em 5 meses, segundo OMS

Parcela infectada, na faixa de 15 a 24 anos, subiu de 4,5% para 15%

Foto: Agência Brasil

Jovens que estão frequentando casas noturnas e praias lideram o aumento de casos do novo coronavírus em todo o mundo, com o percentual de pessoas entre 15 e 24 anos infectadas crescendo três vezes em cerca de cinco meses, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A análise da OMS, que abrange 6 milhões de infecções entre 24 de fevereiro e 12 de julho, constatou que a parcela de pessoas com idade entre 15 e 24 anos subiu de 4,5% para 15%.

Além dos Estados Unidos, que lideram uma contagem mundial com 4,8 milhões de casos no total, países europeus, incluindo Espanha, Alemanha e França, e países asiáticos, como o Japão, disseram que muitos dos recém-infectados são jovens.

"As pessoas mais jovens tendem a ser menos vigilantes quanto ao uso de máscaras e ao distanciamento social", disse à Reuters Neysa Ernst, gerente de enfermagem da unidade de biocontenção do Hospital Johns Hopkins, em Baltimore, Maryland.

"Saídas aumentam as chances de pegar e espalhar a covid-19", afirmou, acrescentando que os jovens têm mais probabilidade de sair para trabalhar, ir à praia, frequentar bares e comprar mantimentos.

O aumento de novos casos, a chamada segunda onda de infecções, levou alguns países a impor novas restrições à circulação de pessoas, mesmo com empresas se esforçando para encontrar uma vacina para o vírus que se espalha rapidamente e que já matou mais de 680 mil pessoas.

Até países como o Vietnã, amplamente elogiado por seus esforços de mitigação desde o surgimento do novo coronavírus no fim de janeiro, estão lutando contra novos focos de infecção.

Segundo a OMS, entre os infectados, cerca de 4,6% tinham entre 5 e 14 anos, contra 0,8% entre 24 de fevereiro e 12 de julho, no momento em que os testes aumentaram e os especialistas em saúde pública estão preocupados com a possibilidade de que a reabertura das escolas leve a um aumento dos casos.

Anthony Fauci, principal especialista dos Estados Unidos em doenças infecciosas, pediu aos jovens no mês passado que continuem a cumprir distanciamento social, usem máscaras e evitem multidões, e alertou que pessoas assintomáticas também podem espalhar o vírus.

Especialistas de vários países pediram medidas semelhantes, ao observar que jovens infectados apresentam poucos sintomas. "Já dissemos isso antes e diremos novamente: os jovens não são invencíveis", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, em entrevista coletiva em Genebra na semana passada. "Os jovens podem ser infectados, os jovens podem morrer e os jovens podem transmitir o vírus a outras pessoas."

FONTE: Agência Brasil