• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Brasil lidera luta global contra a tuberculose e ES é referência em pesquisa

Saúde

Brasil lidera luta global contra a tuberculose e ES é referência em pesquisa

Ministério da Saúde anunciou a incorporação de novo medicamento para o tratamento da doenças em crianças menores de 10 anos

Foto: Divulgação

O Brasil vai liderar a estratégica de luta global contra a tuberculose (TB) nos próximos três anos. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandeta, assume, ainda neste ano, a presidência do Conselho, que busca eliminar a tuberculose no mundo. Para marcar a oficialização da indicação do Brasil na liderança de um movimento mundial de luta contra a doença, o Ministério da Saúde anunciou a incorporação no Sistema Único de Saúde (SUS) de uma nova formulação, simplificada e com mesma eficácia, para o tratamento de crianças menores de 10 anos.

“A tuberculose é umas das principais causas de morte em todo o mundo: em 2017, foi responsável por cerca de 1,3 milhão de mortes. Apesar desse enorme preço para a saúde, a resposta à tuberculose foi, por muito tempo, lenta e subfinanciada, principalmente na área de pesquisa e inovação. Meu compromisso é promover ações colaborativas envolvendo diferentes países para inovação no diagnóstico, tratamento e atenção a essa doença, reduzindo óbitos e os impactos na vida dos nossos cidadãos”, assegurou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

A diretora-executiva da Stop TB, Lucica Ditiu informa que o Brasil está sendo colocado na vanguarda da luta contra a tuberculose, porque é um parceiro da Stop TB. "Estamos levando o mundo a eliminar a tuberculose, por isso, estamos trazendo não apenas o ministro da saúde, como indivíduo, com sua formação e liderança, mas também a experiência que o Brasil fez ao longo de tantos anos em um esforço para combater a tuberculose e basicamente conseguir alcançar tanto em um país com uma carga tão alta", destacou. 

Atualmente, a presidência é exercida pelo ministro da Saúde da África do Sul, Aaron Motsoaledi, que permaneceu no posto por dois mandatos (seis anos). A apresentação da candidatura do ministro Mandetta ao cargo ocorreu durante a Assembleia Mundial da Saúde, realizada em Genebra (Suíça), em maio de 2019.