• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Será que faz bem? Treinar em jejum é prática cada vez mais comum entre brasileiros

Saúde

Será que faz bem? Treinar em jejum é prática cada vez mais comum entre brasileiros

Diversas pessoas acreditam que praticar atividades físicas em jejum pode contribuir para o processo de emagrecimento

Foto: Divulgação
A melhor forma de saber se a pessoa está ou não apta para treinar em jejum é procurar um profissional para avaliar a saúde. 

Para muitas pessoas, emagrecer não é uma tarefa fácil. Por isso, elas apelam para dietas para queimar calorias de forma mais rápida e eficiente. Uma delas é o hábito de treinar em jejum, prática cada vez mais comum e presente na rotina.

De acordo com a nutricionista Catarina Entringer, quando a pessoa está em jejum, as reservas de glicogênio, que é o estoque de energia do corpo, são inferiores, o que faz com que o organismo passe a usar a gordura como combustível. Por tanto, não é correto afirmar que realizar exercícios em jejum auxilia no emagrecimento.

“Quando estamos há muito tempo sem comer, o nível de açúcar no sangue está baixo e problemas como tonturas e desmaios podem surgir. Dessa forma, pode ser que, ao ficar horas sem comer e ingerir toda a alimentação diária nos horários restantes, as pessoas passem mal durante ou depois da atividade física”, afirma.

Segundo a profissional, comer frutas ou alimentos leves antes de malhar podem trazer mais benefícios e resultados positivos, principalmente quando as atividades realizadas são de maior duração. Diante disso, a melhor forma de saber se a pessoa está ou não apta para treinar em jejum é procurar um profissional para avaliar a saúde e descobrir qual o melhor exercício a se realizar sem gerar complicações.

Outro fator importante é considerar a intensidade dos exercícios praticados. Segundo o professor Flávio Simôr, quem faz atividades em jejum deve optar por modalidades que exigem um nível de intensidade variante entre moderada e baixa. “Treinos muito pesados e que demandam muita energia podem ser prejudicados pela falta de carboidratos no organismo. Um corredor ou praticante que deseja treinar sem se alimentar deve ter o bom senso de adaptar também seus treinos à intensidade ideal de cada modalidade”, completa.