• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Acidente em Colatina: corpo de motorista é enterrado em Vila Velha

  • COMPARTILHE
Geral

Acidente em Colatina: corpo de motorista é enterrado em Vila Velha

O enterro do jovem aconteceu na tarde desta terça-feira (22) no cemitério de Santa Inês

O corpo de Dyacy Fernandes, 27 anos, foi velado na Igreja Batista do bairro Ataíde, em Vila Velha. Ele estava internado desde o dia 1º de maio, quando se envolveu em um acidente que vitimou cinco pessoas em Colatina, entre eles, a namorada, o pai e a avó do jovem.

Parentes e amigos acompanharam velório. O enterro do jovem aconteceu nesta tarde no cemitério de Santa Inês, em Vila Velha. A costureira Keila Moura era amiga de infância de Dyacy. “Achei que meu amigo iria voltar para casa. As brincadeiras, as brigas que a gente tinha vão deixar saudades”, lamenta.

O jovem morreu nesta segunda-feira (21). No acidente, também morreram a namorada, Bruna Oliveira Souza, o pai Juraci Fernandes Mendes, a mãe Edir Caetano dos Anjos e a avó Maria Marçal dos Anjos. Marcelo Pereira Ramos, que estava em outro veículo também morreu na colisão.

A batida de frente a outro carro ocorreu no dia primeiro deste mês, na entrada do Córrego Argeu, na ES 080, em Colatina. A família retornava de uma viagem à casa de parentes, em São Gabriel da Palha, na mesma região.

Segundo parentes, Dyacy era um jovem reservado, de poucas palavras mas, ao mesmo tempo, brincalhão. Ele morreu tendo realizado um dos seus maiores sonhos: a construção de uma casa, no bairro Aribiri, em Vila Velha, onde ele chegou a morar com a Bruna por três semanas.

O único sobrevivente estava no outro carro. Mateus Pereira de Oliveira é apontado pela polícia como o causador da tragédia. Ele pagou fiança de mais de R$ 28 mil para responder ao processo em liberdade.

Segundo o advogado da família, a causa do falecimento do Dyacy foi uma parada cardio respiratória. De acordo com a Polícia Militar, Mateus continua internado sob escolta policial e assim ficará até ter alta. O Tribunal de Justiça informou que o caso agora está com o Ministério Público, que decidirá se irá oferecer a denúncia ou não.