• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Acusado de ser mandante do crime, ex-marido da médica pode ser expulso da Polícia Civil

  • COMPARTILHE
Polícia

Acusado de ser mandante do crime, ex-marido da médica pode ser expulso da Polícia Civil

Antes de ser preso, Frasson foi realocado para a seção de contratos e convênios da administração geral da corporação. Ele já atuou como assessor técnico do gabinete do Chefe de Polícia

O ex-marido da médica Milena Gottardi, acusado de ser um dos mandantes do assassinato de Milena, pode ser expulso da policia civil. A afirmação é do secretário de Segurança Pública André Garcia, durante coletiva imprensa que anunciou a prisão do acusado na tarde desta quinta-feira (21), uma semana após o assassinato de Milena. 

"Vai ser instaurado precedimento administrativo disciplinar, que provavelmente vai resultar no seu afastamento, até mesmo porque, como está preso não pode trabalhar. E o que eu espero  é que ele permaneça preso por muito tempo", disse. 

Ainda segundo o secretário, apesar do histórico de agressividade do ex-marido, Milena não fez o pedido para ter medida protetiva para não expor o marido. "Essa é uma característica da mulher que se preocupa com a família e com o outro e muitas vezes o outro não merce essa proteção. O caso do Hilário, nós temos elementos que comprovam episódios de violência doméstica contra Milena. Ela só não fez o pedido de Medida Protetiva de Urgência (MPU), prevista na Lei Maria da Penha, para não prejudicar a carreira dele. Um sentimento nobre, que infelizmente acabou com sua morte", destacou o secretário. 

O Policial Hilário Frasson atuou como assessor técnico do gabinete do Chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré, logo após sua admissão na corporação, em janeiro deste ano.

Antes de ser preso, Frasson foi realocado para a seção de contratos e convênios da administração geral da corporação. Ainda de acordo com a PCES, posteriormente o policial foi transferido para o Distrito Policial de Cariacica Sede.

O assassinato da médica completou uma semana nesta quinta-feira (21). A vítima foi baleada na cabeça no momento em que saía de um plantão no Hospital das Clínicas, em Maruípe, Vitória. Ela estava com uma outra médica quando foi abordada pelo criminoso, que fugiu logo após efetuar os disparos.

Milena chegou a ser socorrida e foi internada no Centro Integrado de Atenção à Saúde (Cias), da Unimed, mas morreu no final da tarde da última sexta-feira (15). O enterro aconteceu no dia seguinte, em Fundão, município em que a médica nasceu e cresceu e onde ainda mora parte de sua família.